Buscar
  • João Vitor Silva

Duas diferenças entre estudar nos Estados Unidos e no Brasil

Eu cresci assistindo filmes norte-americanos como High School Musical, e desde muito cedo a experiência de estudar em outro país já me encantava. Contudo, jamais imaginei que aquilo iria se concretizar algum dia. Eu fiz o ensino médio no Brasil e, contra todas as expectativas, fui aceito com bolsa completa para cursar graduação na Bluefield College, uma faculdade bem pequeninha no sul da Virgínia. Foi a partir dali que minha vida mudou completamente. Hoje já estou no meu último semestre, o que significa que momentos de nostalgia e reflexão estão super presentes no meu dia a dia. No texto de hoje compartilharei uma dessas reflexões com vocês: as diferenças entre estudar no Brasil e nos Estados Unidos.


Diferença #1:

as pessoas Sempre senti que eu e meus amigos do ensino médio éramos parecidos em muitos aspectos. É como se eu vivesse em uma bolha onde a maioria das pessoas, de alguma forma, pensassem assim como eu. A maioria de nós tínhamos experiências de vida muito similares, e por conta disso, nossos modelos mentais sobre o mundo eram muito parecidos. Aquilo foi muito importante para a construção da minha identidade, e sinto muito orgulho e felicidade por ter estudado com pessoas tão maravilhosas que me ajudaram a me tornar quem sou hoje. Contudo, acho que não conseguimos atingir o nosso potencial pleno se só convivemos com pessoas que parecem conosco. Por isso, estudar fora tem uma grande vantagem. Na minha faculdade, temos pessoas de todos os cantos do mundo. Às vezes estou almoçando no refeitório com meus amigos e temos pessoas de 10 países diferentes compartilhando suas experiências. É uma riqueza imensa. Ser amigo de pessoas que tiveram experiências tão diferentes da minha me ajuda a entender que o mundo e nossas interações são muito mais complexas do que eu pensava. Pessoas podem ver o mundo de forma completamente diferente, e não tem problema algum nisso.


Diferença #2:

as aulas e o modelo de aprendizagem Estudei em uma escola técnica no Brasil, então felizmente tive acesso a projetos e a oportunidade de aplicar toda a teoria que eu aprendia em sala de aula. Contudo, entendo que essa experiência não é a realidade para grande parte dos estudantes brasileiros. Muitas vezes os alunos nunca têm a oportunidade de aplicar o que aprendem em sala de aula, e isso pode ser frustrante. E isso é bem diferente nos Estados Unidos, pelo menos de acordo com minha experiência e de alguns amigos. Aqui, a maioria das escolas e faculdades tem como objetivo principal fazer com que os alunos entendam como a teoria pode ser aplicada na vida real. Por exemplo, tive uma aula introdutória de marketing onde um dos projetos principais e de maior nota era ajudar um pequeno negócio local a melhor divulgar suas iniciativas através das redes sociais. Foi uma experiência incrível, pois pude consolidar todo o conhecimento que obtive na sala de aula e ao mesmo tempo criar conexões com pessoas da comunidade que eu provavelmente não teria contato se não fosse o projeto.


Também existem similaridades

Felizmente, nem tudo é diferente. Existem diversos pontos de similaridade que nos permitem viver a experiência sem ficar loucos com a saudade de casa. Por exemplo, assim como no Brasil, aqui também tem pessoas maravilhosas que se preocupam com o nosso bem estar e adaptação. Rodear-se de pessoas assim faz com que a experiência de estudar fora seja um dos pontos mais inesquecíveis de nossas vidas!


Enfim, espero que esse pequeno textinho tenha te ajudado a entender que sim, existem algumas diferenças entre a experiência de estudar no Brasil e nos Estados Unidos. Contudo, ser diferente não significa ser melhor ou pior, é apenas diferente. Caso você tenha qualquer dúvida sobre a experiência de estudar no exterior, pode colocar nos comentários que a gente responde!


Um grande abraço =)




6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo