Buscar
  • Carolina do Nascimento

Estudando Economia e Negócios no Exterior

Muita gente acha que os cursos de Negócios no Brasil e nos Estados Unidos são iguais, porém essa afirmativa está bem longe de ser verdade. Embora administração de empresas seja o curso geral de graduação oferecido na maioria das faculdades e universidades brasileiras e geralmente oferece aulas esporádicas em contabilidade, cadeiras de suporte e outros tipos de aulas, as instituições americanas se aprofundam nos setores dos negócios para permitir que os alunos se especializem em alguma área da administração nos seus diplomas.


Por exemplo, dentro da especialização em Negócios da Northeastern University, os alunos podem escolher entre os setores de Gestão, Cadeia de Logística, Finanças, Contabilidade, Marketing e Análise de Marketing, ou uma combinação de dois desses setores. Também consegui combinar meu curso de Negócios com Economia, já que a Northeastern oferece oportunidades para os alunos fazerem "Majors Combinados" (que é diferente de um curso duplo), o que permite que os alunos se formem no mesmo tempo com um curso de carga reduzida e com dois diplomas acadêmicos.


Graduar-se em Economia também é outra experiência diferenciada. Por falar com colegas no Brasil que se especializaram em cursos tradicionais de Economia em universidades brasileiras, a carga horária e o tipo de material introdutório são relativamente semelhantes, mas notei algumas grande diferenças em outros tópicos do curso. Por exemplo, universidades brasileiras dão um foco muito maior na história econômica do Brasil, enquanto os cursos de economia no exterior oferecem a oportunidade de se concentrar em tópicos da economia global e também procuram dar ênfase em macro e micro dados americanos. Além disso, as teorias clássicas e Keynesianas são muito mais exploradas dentro da sala de aula, na minha opinião, do que outros cursos exteriores de Economia, como a austríaco.


Na minha opinião, tive a vantagem de ter Majors combinados de Economia e Negócios, me concentrando na área de Marketing na parte de Negócios. Isso me permitiu fazer apenas as cadeiras essenciais de cada metade do meu curso que realmente se complementavam. Além disso, tive muitas oportunidades de adaptar meu currículo ao meu gosto. Embora eu tenha feito aulas obrigatórias, como Econometria e Estatística de Negócios, decidi fazer disciplinas optativas como Economia Comportamental, Economia da Saúde, Psicologia e Economia Financeira,nas quais todas combinavam perfeitamente, por mais curioso que pareça.


Por ter sido uma pessoa com interesses diversos e que sempre pensou que teria que se limitar profissionalmente a apenas uma área do conhecimento, só descobri que se interessar por outras áreas que vão além do seu curso é considerado um ponto muito forte depois de ter estudado no exterior. Concluindo, a vantagem de estudar Economia e Negócios no exterior é que, a meu ver, abre as possibilidades de junção de vários campos de estudos que eu nunca imaginei possíveis de se relacionarem.

3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo